Pela primeira vez, o Concours Mondial de Bruxelles terá lugar em Valladolid (Espanha) já no próximo mês de maio, nos dias 5, 6 e 7.

Numa prova às cegas e com uma enorme diversidade de degustadores – cerca de 300, sommeliers, compradores, importadores, jornalistas e críticos de vinho de 50 nacionalidades diferentes este ano vão ser degustados mais de 9080, e 1084 são portugueses. Representando assim uma percentagem de quase 12% em 52 países presentes.

Em poucos anos o CMB conseguiu o título de «campeonato do mundo» da degustação de vinhos. Além da promoção e visibilidade que os vinhos medalhados têm, o principal objetivo desta organização é fortalecer a confiança e ajudar os consumidores na altura de escolher que vinho comprar, “uma medalha do CMB é garantia de qualidade”, refere Thomas Costenoble director do Concours.

Para Patrícia Marques, representante do CMB em Portugal “estes 1084 vinhos inscritos revelam que os produtores assim como os consumidores de vinho português estão a ganhar uma percepção maior da sua importância e reconhecem a medalha do CMB como uma garantia de qualidade. Em Portugal, ainda há caminho para fazer; mas cada vez mais os compradores do Mundo inteiro procuram esta distinção. Traz conforto na escolha do consumidor e garantia na qualidade do produto”

Com mais de 330 medalhas entregues a Portugal na edição de 2016, este ano espera-se que assim como as inscrições aumentaram, o número de vinhos portugueses medalhados também aumente, refletindo a qualidade dos produtos portugueses.